AEPGA

Por Tierras De L Rei

3 e 4 de abril 2020 | Aldeias de Avinhó, Valcerto e Algoso | Planalto Mirandês

 

1. Caminhada com burros

A caminhada com burros é de dificuldade fácil/moderada e foi delineada tendo em conta a variedade paisagística do Planalto Mirandês, com passagem por antigos caminhos rurais e aldeias peculiares. A caminhada com burros será sempre acompanhada por técnicos da AEPGA, sendo dada - antes do início da jornada - uma breve explicação sobre as necessidades e os cuidados a ter com estes animais.

Os burros deverão ser partilhados pelos participantes, fazendo-se trocas durante o percurso entre a caminhada e a montada. Os burros são acima de tudo nossos companheiros de viagem, por isso apenas as crianças e os adolescentes (até aos 14 anos) podem subir ao seu dorso. Devemos ainda respeitar a sua capacidade de carga e o esforço despendido em cada etapa. Em zonas de maior dificuldade como descidas ou subidas íngremes, a progressão faz-se a pé, com o burro à rédea.

No evento, existirá ainda um veículo de apoio que acompanhará a caminhada equipado com os primeiros socorros e que transportará os condutores até aos seus automóveis no final das respetivas etapas, no dia 4 e 5 de abril, entre a aldeia de Algoso e Avinhó e entre a aldeia de Algoso e Valcerto.

Cuidados a ter com os burros ao longo do percurso

- Mantenha o Burro sempre ao seu lado, sem que a cabeça dele ultrapasse o seu corpo. Quando a cabeça do animal passa para a frente do seu corpo, este começa a ganhar confiança e rapidamente dará consigo a ser puxado pelo Burro;
- Tenha sempre cuidado quando passar pela traseira dos animais. Normalmente não dão patadas às pessoas, mas num ambiente estranho ou na presença de outros burros poderão dar coices entre eles;
- Evite dar de comer ao Burro, ou passará a sofrer uma perseguição apertada aos seus bolsos e mãos;
- Nunca enrole a rédea à volta da sua mão ou braço. Poderá ser arrastado e facilmente magoar-se, caso o Burro se assuste e tente escapar;
- Evite movimentos bruscos e ruídos fortes que possam assustar o Burro. Aproxime-se lateralmente do animal de maneira a que este o veja em todo o percurso;
- Tenha paciência com o seu companheiro de viagem. Por vezes o Burro pode deparar-se com situações ou objectos estranhos (tampas de saneamento, sombras, poças de água) não querendo continuar a caminhar. Nestas situações deverá detectar o que se passa e tentar ultrapassar, rodeando-o, desviando-se ou convencendo o animal a ganhar coragem. Em último caso, peça ajuda a alguém da organização;
- Se passar por algum caminho cuja passagem do animal possa ser dificultada, deverá deixar a rédea mais comprida e deixá-lo escolher o trajeto por onde quer passar;
- Se notar alguma alteração ou problema no andamento ou comportamento do burro que vai consigo, por favor avise alguém da organização;
- Nunca deixe o animal sozinho. Ele poderá fugir ou causar prejuízos nas culturas de alguém;
- Durante as paragens, se precisar de deixar o burrico, avise alguém da organização. Os animais deverão ser presos de forma especial para evitar estrangulamentos ou embaraços;
- O material que lhe é entregue juntamente com o burro (alforja, albarda, cabeçada, manta) é da sua responsabilidade. Vá com atenção durante o percurso para não perder nenhum desse material.


Castelo de Algoso


Castelo roqueiro construído no século XII, foi, de início, centro da autoridade real em Terras de Miranda. Por volta de 1224, D. Sancho II doou o castelo aos Hospitalários, que aqui fizeram significativas obras, nomeadamente a torre de menagem e a cisterna abobadada que ainda hoje subsistem.

A partir do final do séc. XIII torna-se um castelo de 2ª linha, sendo abandonado no séc. XVII.

Saiba mais em: http://www.culturanorte.pt/pt/patrimonio/castelo-de-algoso/


XX Feira do Pão da aldeia de Caçarelhos, concelho de Vimioso


A Feira do Pão teve início em 2000 e, sendo tão bem sucedida, acontece todos os anos, no Domingo de Ramos, no antigo “Cabanal”, situado no largo principal da aldeia de Caçarelhos.

É uma feira que vale a pena visitar, onde o pão – de sabor único e tão aclamado na região – é feito de forma artesanal e cozido em forno de lenha. Ao passear pela Feira encontrará também outros produtos da terra como o fumeiro e a doçaria local.

Esta Feira é organizada pelas pessoas da aldeia, a União de Freguesias Caçarelhos e Angueira e a comissão de festas da aldeia de Caçarelhos.

Saiba mais em: https://www.facebook.com/cacarelhos/